Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


sábado, 21 de abril de 2012

oração da natureza (http://www.doest-photography.com)

Um comentário:

Anônimo disse...

bela foto

mariana, que navegador você está usando? quando você vai postar comentários em algum blog, além de escrever o comentário, provar que não é um robô, o que mais tem de fazer? estou c/ um probleminha na postagem de comentários, relatado por inúmeros outros usuários, até agora não solucionado pela equipe técnica (???) do google... desculpe postar isso aqui. se preferir, responda no meu email: jamilsp arroba usp ponto br. merci!