Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


quinta-feira, 22 de março de 2012

João Cabral de Melo Neto

NA MORTE DE JOAQUIM CARDOZO

Creio que Joyce é que dizia
que a Irlanda dele se comia

comendo os filhos, como a porca
que as crias melhores devora.

Estamos tão desenvolvidos
que já podemos esse estilo

de fazer Dublin, Irlanda, Europa?
e um novo imitá-las, em porca?


MELO NETO, João Cabral de. Serial e antes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997, p.122.

4 comentários:

Fred Caju disse...

Aqui no Recife a gente sempre diz que João está para o rio assim como Joaquim está para a ponte.

Cristiano Marcell disse...

Acredito que Joaquim Cardoso, a quem J. Cabral se refere, deve ser o engenheiro que foi calculista de renomados arquitetos, dentre eles o imortal(sem trocadilhos) Niemeyer.

Gosto muito de ver um homem de exatas que faz, e cosequentemente se sensibiliza, com poemas!

Deixo aqui meu elogio a suas postagens! Trabalhamos juntos , contudo a correria cotidiana de nosso mundo urbano, as vezes não permite que eu possa dizer isso pessoalmente.

Aprendo e amplio bastante meus conhecimentos, aqui nesse espaço!

Muita paz!

Cristiano Marcell disse...

Fred Caju agora também aparce por aqui! Muito bom!

Mariana disse...

Cristiano e Fred, muito obrigada. Sei pouco do Joaquim Cardozo...

Que bom, Cristiano, que a exatidão deixou uma brecha para a poesia, uma fenda entre dois triângulos, quem sabe. João Cabral sabia falar bem dessas exatidões curvas.

Paz é uma boa pedida para esse começo de final de semana.