Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


quinta-feira, 19 de março de 2015

Benfica

Com frequência as entregas dos Correios têm atrasado. Elas chegam à Unidade Operacional de Benfica e lá ficam.

2 comentários:

Jamil P. disse...

haha, super operacional! :D
aqui também acontece isso, benfica eternamente na unidade à espera de o destinatário ir lá buscar; sorte minha que é praticamente do lado de casa; aliás, hoje mesmo deveria ter sido entregue uma antologia de poesia brasileira marginal que comprei pela internet, consta que o carteiro 'saiu para a entrega', mas até agora nada, certamente está lá na unidade esperando por mim...
qualquer dia te envio um cartão-postal, se você me disser seu endereço :)

Mariana disse...

pois é, as cartas, encomendas e tais chegam e lá ficam, dois, três, quatro, às vezes mais dias, até que uma reclamação faz a coisa andar. eu nem sei onde fica benfica, então fico na espera.

um cartão-postal? claro! :)