Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


quarta-feira, 27 de abril de 2011

relendo grande sertão: veredas (XI)

“Rumo a rumo de lá, mas muito para baixo, é um lugar. Tem uma encruzilhada. Estradas vão para as Veredas Tortas ― veredas mortas. Eu disse, o senhor não ouviu. Nem torne a falar nesse nome, não. É o que ao senhor lhe peço. Lugar não onde. Lugares assim são simples ― dão nenhum aviso. Agora: quando passei por lá, minha mãe não tinha rezado ― por mim naquele momento? Assim, feito no Paredão. Mas a água só é limpa nas cabeceiras. O mal ou o bem, estão é em quem faz; não é no efeito que dão.”

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. 19. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001, p. 113.

2 comentários:

Alexandre disse...

Olá, Mariana! Como vai?
Vi, numa postagem do Luigi - Lars Von Trier, uma indicação e, li seus comentários...e já virei seu fã...rs.
Adorei teu Blog..muita coisa boa reunida!

“Sertão é onde manda quem é forte, com as astúcias. Deus, mesmo, se vier, que venha armado” (Grande Sertão: Veredas, 1956).

Grande abraço,
Alexandre

Mariana disse...

Oi, Alexandre, beleza? Vou bem, e você? Olha, muito obrigada por estar aqui, pelo comentário, pelos elogios, pelo incentivo. Um fã só pode ser uma coisa boa. Hoje uma aluna mui graciosa do 6º ano disse qualquer coisa sobre gostar da minha aula, então eu virei para ela e disse que ia anotar e trazer para casa, para guardar de lembrança. Então é isso, um grande sertão esta vida, "grande ser tão". Valeu! Outro abraço!