Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


sábado, 19 de novembro de 2011

provérbio

Nenhum ouro vale o desdém ou a indiferença. Quem desdenha não quer comprar ― quer esquecer, daria seu ouro em troca do esquecimento. Um dia, em súbito paradoxo, dá-se conta do esquecimento, de que o tempo agiu, e que o nada é um ótimo patamar para aferir a importância das coisas. 

4 comentários:

sonia disse...

Sentimentos não dizem muito sobre a realidade fora de nós mesmos - (Richard Carrier)
por isso talvez o tempo seja o que nos possibilita a visão perfeita. E aí já não cabem ressentimentos, não cabe NADA!
Bom final de domingo.

Mariana disse...

Ressentimentos são sentimentos ruins, pensando um pouco com Nietzche. Lembro-me de um aforismo dele que falava do poder do esquecimento, poder esquecer.

Hoje estava pensando na minha paixão pelo conhecimento, e o quanto isso comporta de uma estranha forma de amor pelo mundo. Amor pela palavra, por poder dizer e de alguma forma inserir minha caligrafia no universo dos signos... tudo muito misturado. Uma maneira de ir além do Nada.

Bom fim de domingo para você também.

sonia disse...

Descobri um blog onde, além de poder fazer download de textos muito interessantes, há material de sobra para dar o que pensar. Passo a você:
http://ateus.net/ebooks/
Não recomendado para pessoas religiosas :)

Mariana disse...

Sônia, parece ótimo. Minha fila de leitura anda imensa...

Sobre blogs, gostaria de recomendar este, que leio sempre que posso, pela erudição e confiabilidade na questão das traduções:

http://naogostodeplagio.blogspot.com/