Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


terça-feira, 14 de agosto de 2012

spiegel im spiegel: arvo pärt (cena de Gerry, filme de Gus Van Sant)

7 comentários:

Cristiano Marcell disse...

Gus Van Sant é simplesmente único. Gosto muito de "Elefante" em que ele retrata algo de Columbine

Mariana disse...

Interessante que nem sempre associo o nome à obra. Então achava que não tinha visto nada dele. Mas vi sim: Milk, com o sempre ótimo Sean Penn, Paranoid Park, um ótimo projeto da cena independente, e Drugstore Cowboy (visto há muito tempo).

Fiquei interessada neste filme, Gerry.

Cristiano Marcell disse...

Interessante, a atriz principal de Drugstore cowboy, Kelly Lynch, simplesmente sumiu das telas de uma hora para outra. Sabia que ela era a primeira opção para contracenar o erótico e famoso filme Instinto Selvagem, que eternizou Sharon Stone?

Mariana disse...

Não conhecia a moça, nem sabia desse detlahe, sou meio desligada de nomes, exceto um talento ou outro. Na verdade, não assisti Instinto Selvagem, que, embora um grande sucesso, não impediu que Sharon Stone caísse em certo ostracismo.

A esse respeito, vale conferir Crepúsculo dos Deuses.

http://www.cineplayers.com/critica.php?id=230

http://www.youtube.com/watch?v=iSj1nXx2xA8

Cristiano Marcell disse...

Crepúsculo dos Deuses é um filme dos anos 50 que já tive o prazer de assistir há algum tempo!

Deve ser o maior dos castigos, a solidão que se faz após o esquecimento daqueles que os veneravam.

Cristiano Marcell disse...

Sr. DeMille, estou pronta para o close!

Mariana disse...

Uma fala premonitória sobre os dias de hoje!