Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


sexta-feira, 4 de março de 2011

Bob Dylan: uma canção de amor

 Beyond Here Lies Nothin'

Primeira canção do novo CD de Bob Dylan, Together Throught Life (2009), o vídeo mostra uma história de amor bem punk.

[imagem obtida aqui]

2 comentários:

Franck disse...

Coincidência, acordei ouvindo Bob Dylan, que amo!
Estranho é sua analista achar que todos curtem carnaval, Mariana. Eu não viajarei,mas ficarei quietinho em casa lendo, ouvindo músicas (não carnavalescas), filmes, praias, sei lá...
Qto ao livro, são textos do blog, os quais foram denominados de 'prosa poética'; o livro consiste de 134 páginas, capa colorida plastificada, miolo preto e bco e cada exemplar custa o singelo vlr de R$20,00, com despesas dos correios pagas, ok?
Bjs*

Mariana disse...

Oi, Franck, bom dia. Bob Dylan é sempre música para meus ovidos.

Carnaval: fora da área de cobertura. Não curto, ano passado fiquei bem quietinha em casa (aliás, há todo um lado do Rio de Janeiro em que o Carnaval não aparece muito, por exemplo na Zona Oeste, onde moro. As praias da Barra e do Recreio ficam super tranquilas).

Quando eu retornar, escrevo para você dando meu endereço, oportunidade em que você me passará seus dados bancários, para que seu livro chegue até mim. Ok?

Bom descanso, que é o que vou tentar fazer também. Beijos!