Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

alegria

Amado e estimado blog: passo por aqui para dizer que hoje fui tomada por uma alegria tão inesperada na escola, na hora do intervalo, que de repente me peguei cantando... e com tal empolgação e desprendimento e vontade que um colega ao meu lado disse, em alto e bom som, que queria saber o que eu havia tomado... Ora, alegria. Alegria por quê? Não sei. Camadas profundas se revolvendo em meu ser. Alegria que vem de mim mesma, alegria de saber que daqui a três dias tudo terá outra liberdade, e que eu posso me permitir isso, sentir-me feliz por existir e saber-me num certo rumo (que foi, desde sempre, uma aposta, um risco), mesmo que seja um sensação momentânea. Mas também por isso ela me é tão cara. Indescritível. 

4 comentários:

Zé alberto disse...

...como uma gatita, sorridente, de laço vaidoso passeado passeio fora, levantando o chapéu para cumprimentar quem passa (se passa), sob o olhar de um sol que abraça com calor contente.

Ontem falei um pouco com o Luiz, no Facebook, e deixei-lhe um link dum site que descobri por estes dias, um site que é, no fundo, um depósito de teses provenientes do arquivo de varias universidades brasileiras, disponibilizando, grande parte dessas teses para consulta digital. Penso que isso o poderá ajudar na pesquisa que terá que levar a cabo para a elaboração da tese que ja começou a elaborar.

http://bdtd.ibict.br/

meus votos de que tudo corra bem na defesa da sua tese!

abraço!

Mariana disse...

Zé Alberto, muito obrigada pelo link, já adicionei aos favoritos (sabia remotamente da existência desse site, fiz buscas deste tipo quando fui elaborar meu primeiro projeto de doutorado, para ver se alguém já havia feito pesquisa similar: no doutorado costuma-se exigir originalidade, embora do meio da tese para diante eu tenha me esquecido até disso, concentrada apenas num único esforço: terminar!

Gatita... o que é? Não encontrei no dicionário aqui, fiquei curiosa.

Contente é a palavra certa: estado de quem está "tomado por sentimento de alegria, de felicidade; alegre".

Abraço!

Zé alberto disse...

:) gatita é um diminutivo de gata. O correcto é gatinha, mas prefiro dizer: gatitas ou gatitos...é a minha vontade de recriação, que em certas alturas, quando estou mais alegre, dá um nome diferente a tudo :) tudo subverte porque me diverte fazer assim.

Mariana disse...

...minha vontade de recriação, que em certas alturas, quando estou mais alegre, dá um nome diferente a tudo.

dar um nome diferente às coisas é fazê-las diferentes: ainda sob o efeito da alegria de ontem :)