Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

calor

Inflamação tem a ver com fogo. Por isso a região inflamada fica quente: algo nela inflamou-se, protestou, saiu dos eixos, resolveu chamar atenção sobre si. 

2 comentários:

Cristiano Marcell disse...

"Ele era mil
Tu és nenhum
Na guerra és vil
Na cama és mocho
Tira as mãos de mim
Põe as mãos em mim
E vê se o fogo dele
Guardado em mim
Te incendeia um pouco"

Lembranças buarquianas!

Jamil P. disse...

http://blogmaneiro.com/www/blogmaneiro.com/wp-content/uploads/2011/02/consequencias-do-calor.jpg