Gosto de imaginar que ilhas significam-se ― fazem-se dizer por signos ― mediante barcos que se aventuram nas águas que as separam, mas também as unem: as águas podem ser oceânicas ou simples veredas, salgadas ou doces, profundas, turbulentas e mais difíceis de navegar, ou arroios cristalinos que escorrem transparentes entre pedras e vegetação de grande frescor. Os barcos, as palavras. E tudo o mais que diz respeito à palavra afeto, no sentido de afetar, atravessar. Escrever e ler são pontas de ilhas que se fazem significar ― os trajetos dependem dos barcos, das ilhas, das águas que as separam. Este blog não pretende nada, exceto lançar barcos que eventualmente alcancem outras ilhas. Barquinhos de papel.


sábado, 5 de fevereiro de 2011

Bob Dylan - Tonight I'll Be Staying Here With You

Esta música do Dylan, uma canção de amor, é das coisas mais bonitas e agradáveis de se ouvir. Neste álbum, ao vivo, a interpretação é inspirada (é possível escutar aqui). A beleza de uma música está muito no poder dela de nos envolver e transportar para algum outro lugar. No youtube, só cover. Não gosto dos covers que aderem muito ao estilo do Dylan, mesmo porque aquela voz rouca e esganiçada me parece única. Gosto dos que o recriam. Jimmy Hendrix praticamente reinventou  All Along the Watchower, tornando-se uma espécie de co-autor. Aqui uma versão interessante  para Tonight I'll Be Staying Here With You

Nenhum comentário: